15 49.0138 8.38624 1 0 4000 1 https://eloentremundos.com 300 0

Os Dominadores de Energia (Kenschý’mäst)

0 Comentários

OS DOMINADORES DE ENERGIA (KENSCHÝ’MÄST)

 

Os dominadores de energia ou kenschý’mäst (mestres da energia) são uma classe especial de estudiosos, que dedicam suas vidas a aprender as mais variadas formas de uso e conhecimentos da energia.

Os primeiros kenschý’mäst surgiram milênios antes da criação do Elo, em um dos mundos antigos denominado Kalvríed. Seu povo por si só já era conhecido por seu amor ao estudo da energia.

Os kalví, como eram conhecidos os habitantes deste planeta, segregavam-se em dois grandes grupos. Os habitantes das cidades, que estudavam a energia por conta própria e os habitantes das florestas, devotos da Prithmanare de seu mundo e dispostos a aprender somente o uso da energia ensinado por ela. Este grupo era chamado de ënir e era considerado primitivo por aqueles que escolhiam viver nas cidades.

Apesar de algumas divergências e desavenças, ambos os grupos obedeciam às orientações da Prithmanare, respeitando suas sugestões do que era bom aprender e o que poderia ser perigoso. Entretanto, entre os ënir alguns tornaram-se sedentos demais na busca pelo conhecimento, estudando práticas ilegais aos olhos de seu povo, passando a serem considerados desgarrados e exilados.

Os “desgarrados” então se uniram sob a liderança de Hëiken, um dos mais poderosos dominadores de energia da história. Sob sua orientação, o grupo passou a desenvolver técnicas complexas e avançadas, capazes de afetar até mesmo a energia de seus oponentes. Com o tempo eles passaram a se intitular como kenschý’mäst, os mestres da energia.

Por se mostrarem inofensivos, o povo das cidades apenas os consideravam sábios extremistas, com ambições além do simples estudo da energia, mas não os hostilizavam quando resolviam buscar conselhos nos Sëikyden-Domchí, grandes construções onde os sábios se isolavam em meditações para se conectarem com a energia ao seu redor.

Já para os ënir, os kenschý’mäst eram uma aberração de seu próprio povo. Consideravam a sede insaciável por conhecimento uma doença que poderia corromper a mente daqueles que se deixavam levar por seus encantos.

Muitos anos após o surgimento desta classe, iniciou-se a famosa guerra dos mundos antigos, afetando vários mundos, envolvidos direta ou indiretamente, graças as ações de Völtenkai, mundo que iniciou a batalha contra Kalvríed. Neste mesmo período surgiu a doença misteriosa, chamada posteriormente de kenschý’iíta ou energia contaminada.

Devido as suas características e desejo incontrolável em dominar a energia, os kenschý’mäst perceberam ser muito mais sensíveis e propensos a se contaminarem com a nova doença que os outros seres, determinando então, que evitassem se aproximar de grupos e principalmente de outros kenschý’mäst.

Este foi o período em que a prática dos dominadores de energia passou a se espalhar para outros mundos, pois a grande maioria dos kalví pertencentes a este grupo viajaram por diversos planetas, até encontrarem um em que se sentissem confortáveis e seguros para se instalarem.

Entretanto, Hëiken reuniu um bom número de seus principais seguidores, convencendo-os que a kenschý’iíta deveria ser estudada e não temida. Com eles, passou a viajar por entre os mundos onde se encontravam os maiores casos de surgimento da doença, para que então a estudassem. Após meses de estudos e pesquisas infrutíferas, o líder dos kenschý’mäst passou a mudar seu discurso, incitando seus companheiros a atacarem Völtenkai, usando suas técnicas de bloqueio da energia para enfraquecer seu povo e “ensinar-lhes” uma lição.

Cegos pela raiva que sentiam do mundo que iniciara uma guerra injusta contra Kalvríed e todos os outros mundos, todos seguiram Hëiken com muito entusiasmo, percebendo tarde demais que ele já havia sido contaminado há muito tempo pela kenschý’iíta e que, no fundo, suas ações possuíam uma intenção maquiavélica e abominável até mesmo para eles, que ignoravam todas as normas.

No dia em que a guerra chegara a um fim forçado, graças ao rápido avanço da doença entre os combatentes de ambos os lados, Hëiken se rebelara contra uma Prithmanare, demonstrando para seus seguidores e ao grupo de desbravadores que procurava por uma cura, a técnica mais avançada e também mais cruel já criada por um kenschý’mäst, “a ruína das Prithmanares”.

Após este evento resultando na morte precoce de Hëiken e o fim de um mundo, os kenschý’mäst restantes em Kalvríed estabeleceram regras para seus novos seguidores, além de determinarem uma seleção mais rigorosa daqueles que quisessem fazer parte deste seleto grupo.

Graças as novas normas, os kenschý’mäst dos dias de hoje são solitários, discretos e, a grande maioria, muito leal a Prithmanare do mundo em que escolheu fixar residência. No Elo, muitos kenschý’mäst se colocam a disposição dos protetores, ajudando-os em missões ou em provas realizadas para testar a capacidade dos Vazz e Valíss quando atingem a maturidade necessária para serem postos a prova.

 

Previous Post
Capítulo I
Polinari B.A.

Bióloga e escritora. Apaixonada pela natureza, histórias de fantasia, animes e jogos.

0 Comentários

Leave a Reply